sexta-feira, 5 de agosto de 2011

EQUILIBRADA NO FIO DA MINHA FELICIDADE



Não. De lá eu não caio, só se me empurrarem para o outro lado. Dessa felicidade eu não largo. Se quiserem me ver chorar, só se for um choro feito de felicidade.



E rir eu estou aprendendo. Pular na areia, também. Tomar banho no chuveiro público. Pode ser bom. Eu sou parte do público. Me vejo igual a todos...
E a onda de felicidade era tanta que me derrubava só pra me ver rir meu riso. E a família toda ria junto.



A praia era quase toda nossa e nos avisava: Hoje preparei um espetáculo e lhes ofereço fortes ondas de emoção.

Esses dias têm sido assim...

4 comentários:

  1. Vais ser minha professora este semestre!
    Estou bastante feliz em aprender e sentir cada vez mais a literatura em sua aula.

    Um grande abraço poético:)
    Camille Miranda

    ResponderExcluir
  2. Tua felicidade também me faz feliz!

    ResponderExcluir
  3. Querida Camille,

    Que os ventos do Norte nos faça voar... É para lá que nós vamos neste semestre, para as alturas, para as profundezas literárias. E que assim seja. Amém.

    Um abraço todo meu pra você

    ResponderExcluir
  4. Isabel,minha linda poeta,

    Você sabe, assim como eu, que a felicidade só é plena quando estamos rodeados de pessoas do bem, que partilham dessa magia que é ser feliz.

    Da sua mensagem saltam faiscas da minha felicidade.

    Obrigada querida.

    ResponderExcluir